30 de jul de 2012

Prototype 2 mostra um futuro promissor para a franquia

Depois de alguns anos em desenvolvimento, finalmente Prototype 2 chega ao Xbox 360,PlayStation 3 e PCs. Neste review, vamos mostrar que, com um enredo convincente e gráficos reformulados, o jogo da Activision tem um futuro promissor pela frente. Confira:


Prototype 2 (Foto: Divulgação)

Quando foi lançado em 2009, o jogo foi considerado por muitos como uma cópia de InFamous – jogo lançado exclusivamente para PS3. Entretanto, diante da data apertada entre os lançamentos, não haveria tempo hábil para que a Activision plagiasse o jogo. Mesmo assim, é difícil não fazer uma comparação com o jogo da Sony.
Isso deve-se ao fato de que ambos os jogos possuem um mundo aberto e uma proposta bem parecida: um herói com habilidade extraordinárias em meio a um mundo que beira o caos, graças à contaminação de sua população. A grande diferença é que em InFamous, o jogador opta por traçar um caminho do bem ou do mal graças às suas atitudes ao longo do enredo. Já em Prototype, o anti-herói precisa sobreviver e encontrar respostas, sem se importar muito com as vidas inocentes em jogo.
Porém, InFamous sempre levou uma vantagem em relação a gráficos e jogabilidade, principalmente com a sua sequência lançada em 2011. Com isso, a Activision apertou o freio e por duas vezes atrasou o lançamento de Prototype 2. Mas a espera valeu a pena, pois o jogo mostrou-se bem melhor do que a versão anterior.
prototype-2 (Foto: prototype-2) 
Vingança em uma cidade tomada pelo caos
A campanha principal de Prototype 2 conta a história de James Heller, um soldado americano que retorna do Iraque e se depara com a sua família assassinada por Alex Mercer - o protagonista do primeiro jogo. Enquanto isso, novamente um vírus mutante contamina Nova Iorque, transformando os habitantes em monstros mortais. Cabe a Heller investigar a contaminação e ir em busca de vingança.
Durante todo o modo Campanha, o enredo se desenrola de uma forma admirável, que chega a surpreender em alguns momentos. Com isso, Prototype 2 torna-se um daqueles games que vale a pena acompanhar cada diálogo e animação para entender como a história se desenvolve de forma brilhante.
As missões secundárias continuam presentes, e em um número maior. Porém, elas podem ser completadas depois de terminar o jogo, entretanto, completá-las durante a campanha é fundamental para que seu personagem adquira pontos de experiência e assim evolua suas habilidades.
Prototype 2 (Foto: Divulgação)
Gráficos evoluídos
Os gráficos de Prototype 2 tiveram um verdadeiro salto em comparação com a versão anterior. Dessa vez, deparamos com cenários mais coloridos, personagens mais caracterizados e menos serrilhados nos ambientes do jogo. Sinal de que a demora para lançar o jogo surtiu efeito.

O personagem principal também mostra-se bem definido, principalmente na hora de utilizar suas habilidades, como a garra e a espada. Com isso, as cenas da transformação tornam-se mais empolgantes e dividem as atenções com a boa jogabilidade apresentada no jogo. Até Alex, o herói do primeiro jogo - que se tornou o grande vilão do segundo - ganhou uma melhoria e um tom mais macabro.
Outro elemento que melhorou bastante foi em relação a cenas com muitos elementos na tela. No primeiro jogo isso acarretava em uma queda brusca de frames, o que gerava travamentos irritantes. Dessa vez não há problemas desse tipo e o jogo roda bem suave, porém longe de ser 60 fps.
Prototype 2 (Foto: Divulgação)

Jogabilidade melhorou, mas ainda não agrada
Comparada com a versão anterior, Prototype 2 evoluiu muito a sua jogabilidade. O sistema de evolução continua sendo executada de uma forma bem agradável, cabendo ao jogador decidir qual atributo deve ser evoluído ou qual habilidade deve ser aprimorada.
As armas do jogo também evoluíram. Graças aos poderes adquiridos, James transforma seu braço em lâminas afiadas, bolas de ferro que esmagam tudo ao seu redor e até em um chicote no mesmo estilo Kratos (de God of War). O jogador pode escolher a sua preferida e evolui-la com os pontos adquiridos.
Já a movimentação do personagem continua repleta de bugs. O mais grave reflete na hora em que James precisa fugir de uma perseguição, em que tentar se esconder de seus inimigos é uma tarefa árdua graças a falhas na hora de escalar paredes. Em outras palavras, em alguns momentos o personagem esbarra em pedaços da construção que o impedem de escalar o local, com isso perde-se um tempo precioso na hora de despistar seus oponentes.
O sistema de mira também é bem artificial e divide opiniões, uma vez que, com um vasto leque de habilidades, por quê James recorreria a lança-mísseis ou fuzis para destruir veículos de guerra cujo um poderoso soco pode acabar com tudo?
Prototype 2 (Foto: GameInformer) (Foto: Prototype 2 (Foto: GameInformer))
Prototype 2 mostra que a franquia evoluiu e ainda continua batendo de frente com seu “rival” InFamous. Com gráficos melhorados e um enredo digno de um longa metragem, o jogo é recomendado para os fãs de ação em mundo aberto repleto de missões secundárias. Pena que alguns bugs na jogabilidade assombram o título desde a sua versão anterior.