23 de jun de 2012

Microsoft e Motorola não entram em acordo e X360 pode ser banido nos EUA

Motorola quer receber 2,25% de todas as vendas do Xbox 360 modelo S

O Xbox 360 continua correndo risco de ter suas vendas suspensas nos EUA. Segundo a agência de notícias Reuters, a Microsoft recusou a proposta de acordo da Motorola Mobility, que acusa a empresa de Bill Gates de quebra de patentes.

De acordo com a reportagem, a Motorola, empresa do grupo Google Inc., quer que sejam pagos 2,25% sobre as vendas de cada Xbox 360 modelo S (como visto acima). A proposta foi recusada pela Microsoft sob a alegação que as taxas exigidas estão acima do praticado pelo mercado.

"Enquanto nós agradecemos o esforço de resolução e boa fé, é difícil aplicar este rótulo sobre uma exigência que cobra da Microsoft pagamento de royalties ao Google bem acima das taxas de mercado, e que se recusa a licenciar todas as patentes da Microsoft infringidas pela Motorola", disse Horacio Gutierrez, vice-conselheiro geral da Microsoft, em comunicado.

Briga judicial

Atualmente a Motorola - e todas as empresas que fabricam e distribuem smartphones com sistema operacional Android - infringem uma  patente da Microsoft chamada ActiveSync, que faz sincronia entre programas de calendário e e-mail.

Já a Motorola exige compensação pelo uso de algumas de suas tecnologias sem fio e de vídeo utilizadas no X360 e no Windows 7.

Segundo a companhia de software, a Motorola ofereceu pagar à Microsoft US$ 0,33 por cada celular com Android que utiliza o ActiveSync, e por outro lado, cobra royalty de 2,25% sobre cada console e de US$ 0,50 por cópia do Windows 7 que utiliza suas patentes.

Em maio a Comissão Internacional do Comércio recomendou uma proibição de importação sobre dispositivos com Android e do Xbox 360 em território norte-americano caso o problema de patentes não seja resolvido.

Caso as empresas não entrem em acordo, a decisão sobre proibição da venda dos produtos seguirá para o presidente norte-americano Barak Obama no final de agosto.